Radio Antena FM

Radio Antena FM
(Clique na imagem e assista e ouça ao vivo)

Sindicato dos Trabalhadores

Sindicato dos Trabalhadores

sexta-feira, 29 de maio de 2015

Funcionário da NET que enviou mensagem de assédio a cliente é demitido

Facebook/Reprodução1
A NET informou nesta quinta-feira (28) que identificou e demitiu o funcionário que enviou, sem autorização, mensagens para uma cliente da empresa por meio do aplicativo WhatsApp. A jornalista e cliente da empresa Ana Prado denunciou, em sua conta do Facebook, o assédio após ligação para oferecimento de um pacote promocional.
Em nota, a empresa afirmou que “o colaborador envolvido foi identificado e desligado. Também foi registrado um Boletim de Ocorrência na polícia, a fim de que o fato seja apurado também na esfera criminal. A empresa reforça que tomará todas as medidas cabíveis para apurar, identificar e afastar sumariamente qualquer colaborador ou prestador de serviço que faça uso indevido de informações pessoais, confidenciais e sigilosas de nossos clientes.”
A NET disse ainda que vai esclarecer a todos os clientes que a empresa “trata as informações pessoais com as mais rigorosas práticas e políticas de proteção ao sigilo. Todos os prestadores de serviços da companhia estão obrigados contratualmente a assegurar a proteção dos dados dos consumidores e são proibidos de utilizar estas informações para qualquer outro fim. Também ficam cientes das sanções contratuais, cíveis e criminais aplicáveis em caso de descumprimento”.
Por fim, a empresa ressaltou que todos os colaboradores envolvidos em atividades de atendimento ao cliente têm acesso aos dados estritamente necessários para executar suas funções, sempre de forma individualizada e rastreável.
Fonte: Correio Braziliense

Repórter tenta entrevistar rapaz morto em perseguição

Reprodução Youtubemorto
Um repórter da TV Atalaia, afiliada da Record no Sergipe, tentou entrevistar um rapaz morto pela Polícia Militar durante uma perseguição na periferia de Aracaju. A reportagem foi exibida sem cortes na edição da última quarta-feira (27) do programa “Tolerância Zero”.
A equipe da televisão estava na rua quando percebeu a movimentação policial. Ao chegar ao local, o jornalista pediu a um sargento que relatasse o ocorrido e depois perguntou a idade de dois menores envolvidos no assalto e já apreendidos pela polícia.
Ao se aproximar do terceiro membro da quadrilha, não notou que ele já estava morto. Assim como fez com os outros, perguntou sua idade, mas obviamente não recebeu qualquer resposta. “Esse daqui está ferido. Por incrível que pareça, eu ia entrevistar um cara que já está morto”, completou constrangido.
Fonte: Redação Bonde

Assalto à lotérica deixa militar e acusado feridos no bairro do Pinheiro; Veja vídeos

Alagoas24HorasAssaltante é baleado na perna
Assaltante é baleado na perna
O assalto a uma casa lotérica instalada em um Centro Empresarial Sanatório, no bairro do Pinheiro, deixou um militar e um dos assaltantes feridos à bala no final da manhã desta sexta, 29. O assalto ocorreu na Rua Belo Horizonte e mobilizou militares e agentes da Oplit, que passavam pelo local.
As primeiras informações dão conta que os assaltantes estavam em um veículo Fiesta de cor preta e jogo de roda que foi flagrado circulando no bairro Santa Amélia, na parte alta de Maceió.
De acordo com uma das vítimas, a ação foi muito rápida. Os assaltantes entraram, anunciaram o assalto e fizeram um arrastão. Além de pegar todo o dinheiro dos caixas, cerca de 30 clientes tiveram os pertences levados.
Um acusado, ainda sem identificação, foi atingido por vários tiros nos membros inferiores. O outro acusado detido se negou a fornecer a identidade e disse que estava no lugar errado e local errado. No local, os policiais apreenderam dois revólveres calibre 38 municiados. Uma das armas estava com vários tiros deflagrados.
O assalto mobilizou dezenas de militares e curiosos. Não há detalhes se o militar ferido era um cliente comum ou se prestava serviço de segurança à lotérica. Devido à movimentação, o trânsito está completamente congestionado no local.
HGE
Em contato com a assessoria do Hospital Geral do Estado (HGE), o Alagoas 24 Horas foi informado que o estado de saúde do policial Israel Pereira da Silva, 49, é considerado grave. Ele – que foi atingido por tiros no tórax, abdômen, perna e braço – passa, na tarde de hoje, por uma cirurgia na unidade hospitalar.
Já o acusado, identificado como Rubenyk de Oliveira, 18 anos, recebeu um tiro na perna e está na ala vermelha do HGE.
Veículo encontrado
Minutos após o assalto, a Polícia Militar conseguiu localizar o veículo usado pelos assaltantes. O veículo, um Ford Fiesta, placa MVA 0534, estava abandonado na Rua Muniz Falcão, no bairro do Farol.
De acordo com a polícia, o veículo tem queixa de roubo de 2008 e estava com a placa adulterada. Fitas adesivas foram coladas no zero da placa dianteira, fazendo um oito. Já na placa traseira, a fita estava colada no número cinco, o transformando em um seis. Os outros dois assaltantes não foram localizados.

00:00
00:00
00:00
00:00

Operação flagra caminhões de transporte de combustíveis carregando água

Uma denúncia anônima, de suposta existência de transporte irregular de água, motivou uma operação conjunta realizada nesta sexta-feira (29) pela Promotoria de Justiça de Defesa do Consumidor da Capital do Ministério Público do Estado de Alagoas (MPE/AL), Vigilância Ambiental, Procon e Polícia Militar.
Durante a operação, dois caminhões que já haviam sido utilizados para transportar combustíveis veiculares foram identificados e interditados, pois estavam levando água potável. O que de acordo com o promotor de Justiça Max Martins é terminantemente proibido por Lei e pode colocar em risco à saúde das pessoas.
“Os tanques que foram utilizados para combustíveis não podem ser utilizados para transportar água. Os veículos destinados ao transporte de água, seja ela mineral, natural ou potável deverão ser exclusivos para essa atividade, ficando proibido o transporte de substâncias químicas, inseticidas, praguicidas, saneantes, domissanitários ou qualquer tipo de produto ou substâncias estranhas que possam comprometer ou contaminar a qualidade da água e, consequentemente prejudicar a quem a consome. Os veículos destinados ao transporte de água também devem ser mantidos em perfeito estado de conservação e limpeza”, explicou o promotor.
As demais empresas que atuam no transporte de água potável também estão sendo fiscalizadas, com o objetivo de verificar se elas estão regulares ou cometendo essa ou outra irregularidade.
Nesta quinta-feira (28), o MPE/AL realizou uma reunião com os órgãos citados para definir a operação que foi desencadeada hoje.
Fonte: Ascom/MPE

Câmara aprova o fim da reeleição para cargos do Executivo



Em uma das poucas mudanças expressivas até então, o plenário da Câmara aprovou no fim desta quarta-feira (27) a proposta de emenda à Constituição (PEC) que acaba com a reeleição para os cargos executivos. Foram 452 votos a favor, 19 contra e 1 abstenção. Como a reforma política está sendo tratada em PEC, o fim da releição precisa ainda ser aprovado em segundo turno na Câmara para depois ser apreciado, também em duas votações, pelo Senado. A proposta aprovada não se aplica aos prefeitos eleitos pela primeira vez em 2012 e aos governadores também eleitos pela primeira vez em 2014, nem a quem os suceder nos seis meses anteriores ao pleito. Ela não cabe à presidente Dilma Rousseff,  porque, já reeleita, não poderá se candidatar em 2018. Senadores, deputados e vereadores poderão continuar se reelegendo indefinidamente. Após a votação, o presidente da Câmara. Eduardo Cunha (PMDB-RJ) encerrou a sessão. Nesta quinta (28), a partir das 12h, os deputados continuam a votar a reforma política.





por  bahia noticias
Mulher recebe mensagens de paquera supostamente enviadas por funcionário da NET'Fiquei curioso por conta da sua voz', diz o texto enviado pelo Whatsapp
Época Negócios
A jornalista Ana Prado publicou em seu Facebook nesta terça-feira (26/05) uma série de mensagens que ela teria trocado com um funcionário da NET. Em postagem na rede social, ela afirmou que havia recebido naquela manhã uma ligação da empresa, que vende serviços de internet, telefone e televisão a cabo, para oferecer um pacote. Logo depois, o suposto funcionário teria adicionado Ana no Whatsapp e mandado uma mensagem.

"Hoje de manhã me ligaram da Net para oferecer um pacote. Disse que não estava interessada, agradeci e desliguei. Agora o cara me adicionou no WhatsApp sem permissão, me mandou estas mensagens, disse que eles têm 'acesso a todos os dados dos clientes', se recusou a deletar meu número, tá levando tudo na brincadeira e me desafiou a processá-lo. NEToficial, por favor, que merda é essa?", disse Ana no post, que já teve mais de 7 mil curtidas e 2 mil compartilhamentos.

"Oi!! Rs Falei com você hj hahaha desculpa... Mas fiquei curioso rs Por conta da sua voz rs" (sic)", afirma a mensagem recebida por Ana. Ela imediatamente perguntou se a pessoa era o atendente da NET, afirmando que aquilo era muito invasivo. "Pode render processo pra você e para empresa onde você trabalha", avisou.

Em seguida, o interlocutor disse ter acesso a todos os dados dos clientes, mas afirmou que Ana podia ficar tranquila. "Só gravei o número do seu celular no meu". A jornalista pediu que ele a deletasse. Ele se recusou, dizendo apenas que deixaria de mandar mensagens. Sobre a ameaça de processo, o suposto funcionário disparou: "caso queira me processar, fique à vontade".



À Época NEGÓCIOS, a NET afirmou que divulgará um posicionamento ainda nesta quarta-feira. Pelo Twitter, a empresa pediu para entrar em contato com Ana.

Outras mulheres, como Bárbara Lima, também se manifestaram, dizendo que já tinham passado pela mesma situação, não só com a NET, mas com outras empresas de telefonia.

Em comentários posteriores na rede social, Ana Prado afirmou que não queria se vingar do atendentes, apenas gostaria que a NEToficial desse uma satisfação. "Eu acho que ele só reproduziu um comportamento que deve ser comum ali", disse.

"Quem tiver história parecida compartilha, por favor. Eu postei isso porque a gente precisa discutir como essas empresas estão lidando com os nossos dados e a nossa própria integridade física. Cadê treinamento pra esse pessoal? O treinamento é só pra conseguir vender pacotes? Essas pessoas têm acesso aos nossos dados, realizam serviços dentro da nossa casa", escreveu.



Outro caso

Uma jovem que não quis se identificar contou à Época NEGÓCIOS que passou por uma situação constrangedora com um técnico da NET. Em março deste ano, no dia de seu aniversário, ela solicitou assistência para um problema relacionado à internet. "Eu geralmente sou educada com as pessoas que vão prestar algum serviço pra mim, afinal quando você é simpático, as pessoas tendem a ser resolutivas com o seu problema", afirmou. Ao ser informada de que o problema havia sido resolvido, ela apertou a mão do técnico para agradecer.

O funcionário foi embora, mas tocou a campainha de novo dizendo que achava que tinha esquecido de colocar o cabo do telefone do lugar. Apesar de lembrar que ele não tinha mexido no telefone, a jovem autorizou novamente a entrada. Desta vez, na hora de ir embora, o técnico perguntou se ela era menor de idade, mas ela fingiu que não ouviu. Alguns minutos depois, ele ligou repetindo a pergunta. Logo depois, perguntou se ela tinha namorado. A cliente desligou e logo em seguida interfonou para a portaria perguntando se o técnico já tinha saído do prédio. Descobriu que sim e orientou os funcionários a não o deixarem entrar novamente.

"Depois disso eu mudei drasticamente a maneira que eu trato homens que vão fazer algum tipo de serviço semelhante a esse. Geralmente, não olho nos olhos e aperto de mão nunca mais", disse.
Suspeita de se passar por médica é presa no HGEEla teria dito a seguranças do hospital que visitaria parente enfermo; encaminhada à base da Oplit, suspeita afirmou ser estudante de psicologia
Jonathas Maresia
Atualizada às 16h13

A Polícia Civil prendeu, no início da tarde desta quinta-feira, dentro do Hospital Geral do Estado (HGE), em Maceió, uma mulher suspeita de se passar por médica na unidade de saúde. As equipes da unidade hospitalar desconfiaram da atitude da mulher e acionaram a polícia. Identificada apenas como Valquíria. Ela foi detida e encaminhada para a base da Operação Litorânea Integrada (Oplit), no bairro Ponta Verde.

Em depoimento, Valquíria disse ser estudante de psicologia, relatando que já estagiou na Central de Transplantes do HGE, razão pela qual teria trânsito livre dentro da unidade hospitalar. “Eu estava ajudando uma senhora cujo pai tem problemas renais. Ela veio comigo como minha testemunha para confirmar a minha história”, disse a suspeita em entrevista à Gazetaweb.

Uma enfermeira do HGE também foi conduzida pelos policiais como testemunha no caso. Em depoimento, Mariana Queiroz informou que a suspeita utilizava um jaleco do setor de assistência social e, ao ser abordada pelos funcionários do hospital, identificou-se como neurologista.

Ainda de acordo com Mariana, uma estagiária chegou a procurar a suposta médica para se queixar de enxaqueca. Segundo ela, Valquíria lhe prescreveu um medicamento, mas em um papel comum, sem o padrão de uma receita médica.

Após prestar esclarecimentos, policiais da Oplit lavraram um Termo Circunstanciado de Ocorrência (TCO), com Valquíria sendo liberada em seguida.

De acordo com a assessoria do HGE, a suspeita teve acesso ao interior da unidade ao afirmar para os seguranças que era médica e que queria visitar um parente, o que chamou a atenção dos funcionários de plantão no hospital.

Quando questionada sobre o que estaria a fazer no hospital, ainda segundo a assessoria, os profissionais do HGE tiveram a certeza de que ela não era médica. Após levantamento, a unidade de saúde revelou também que nenhum paciente - como informado pela suposta médica - teria parentesco com a suspeita.

A assessoria disse, ainda, que foi um policial de plantão no posto do HGE quem deteve a suspeita. Segundo funcionários do HGE, esta não é a primeira vez que a mulher tenta se passar por médica, pois, ela já teria agido da mesma forma para ter acesso ao Hospital Universitário, no Cidade Universitária.