Radio Antena FM

Radio Antena FM
(Clique na imagem e assista e ouça ao vivo)

Sindicato dos Trabalhadores

Sindicato dos Trabalhadores

quinta-feira, 29 de junho de 2017

Acusado de matar irmã se apresenta à polícia e deve passar por avaliação médica



Alagoas24horasAdvogado Alan Pierre, da OAB/AL, acompanhou a apresentação
Advogado Alan Pierre, da OAB/AL, acompanhou a apresentação
O adolescente J.V.C.S., de 14 anos, que matou a irmã Júlia Isabel Chauvin da Silva, 17, a facadas na residência da família no Conjunto Village Campestre II, na madrugada de terça-feira (27) se apresentou no final da manhã de hoje (29) à delegada Teila Nogueira, titular da Delegacia da Criança e do Adolescente, no Jacintinho. A apresentação estava prevista para as 10h, mas só ocorreu por volta das 11h30. A delegada pediu que nenhuma imagem do menor e da família fosse feita pela imprensa.
O menor estava acompanhado dos pais, do representa do Conselho Tutelar e do integrante da Comissão de Defesa da Criança e do Adolescente da OAB/AL, Alan Pierre. Coube ao advogado conversar com a imprensa. Pierre disse que a comissão irá solicitar avaliação médica do menor, uma vez que a família voltou a confirmar que o adolescente não possui histórico de violência, não é usuário de drogas nem mantinha relacionamento conflituosa com a irmã.
Leia também
“Ele não estava nele” diz mãe de menor acusado de matar irmã a facadas
Ainda segundo familiares, desde o crime, o menor vem apresentando crises a intervalos cada vez mais curtos, o que justificaria o internamento do menor em uma clínica psiquiátrica até que um laudo definitivo seja elaborado.
Em entrevista ao Alagoas 24 horas no dia do crime, a mãe dos adolescentes disse que logo após matar a irmã, o adolescente parecia nem se aperceber do que havia feito. “Ele não estava nele”. A mãe afirma, ainda, que há histórico de esquizofrenia e sonambulismo na família paterna.
A família alega, também, que o menor teria apresentado episódios de falar sozinho e andar e falar supostamente durante o sono. Todas essas declarações deverão ser consideradas durante a avaliação psiquiátrica ao qual o adolescente será submetido.
Uma vez se apresentado à polícia judiciária, o menor deverá permanecer à disposição da Justiça. Caberá à delegada, no entanto, definir se ele será encaminhado à Unidade de Internação Masculina ou a alguma unidade psiquiátrica.

Nenhum comentário:

Postar um comentário